Páginas

22 de julho de 2010

Peça Teatral - Santa Rita de Cássia

Texto: Emílio Carlos 

 

NARRADOR Boa noite. No dia 22 de maio celebramos o dia de Santa Rita de Cássia. Santa Rita é mais conhecida pela sua intercessão nas causas impossíveis. Hoje vamos conhecer um pouco de sua vida santa.

Santa Rita nasceu em 22 de maio de 1381, na Itália. Desde cedo a pequena Rita sentia sua vocação. Tanto que com apenas 8 anos decidiu seguir a vida religiosa.

 

(Entra Rita de 8 anos, se ajoelha e reza perto de um oratório.)

 

NARRADOR Tinha grande devoção por Nossa Senhora, São João Batista e Santo Agostinho. Os pais permitiram que Rita tivesse um oratório dentro de casa, e ali ela passava os dias rezando e meditando no amor de Jesus.

(Rita de 8 anos sai).

 

NARRADOR - O tempo passou e a jovem Rita estava mesmo decidida a entrar para o Convento. Chegou a pedir aos seus pais de joelhos licença para viver no Convento.

Mas os pais, já de idade bem avançada, decidiram casar Rita com um jovem que havia pedido a sua mão. Por obediência e por amor aos pais Rita casou-se. E passou 18 longos anos difíceis ao lado do marido. Era maltratada, espancada por ele e muitas vezes impedida de ir à igreja com seus 2 filhos.

Um dia o marido de Rita foi assassinado. Os filhos caíram doentes e morreram, um após o outro. Rita agora estava sozinha no mundo. Era apenas ela e Deus.

O sonho de Rita não havia mudado. Ainda aspirava a vida no Convento. Entretanto as freiras eram todas solteiras, e ela era viúva. Não sabia se seria aceita no Convento. Mesmo assim resolveu tentar.

 

(Entra Rita de 38 anos e vai até o portão do Convento.)

 

NARRADOR – Bateu à porta do Convento das agostinianas de Santa Maria Madalena e falou à Madre superiora.

 

RITA Madre: desde criança quero viver na clausura dedicando minha vida a Jesus. Fiz a vontade de meus pais e me casei. Mas agora que sou viúva eu lhe peço: me deixe viver entre as irmãs do Convento.

 

NARRADOR – A madre ficou muito impressionada com a atitude, a humildade e a determinação de Rita. Mas, no entanto, respondeu:

 

MADRE – Infelizmente só jovens solteiras podem entrar no Convento.

 

NARRADOR – Rita ainda tentou explicar:

 

RITA – Toda vez que eu passo por esse portão é como se uma força poderosa me atraísse, me chamasse para o Convento. Por isso lhe peço a permissão para seguir minha vocação.

 

NARRADOR – A madre explicou à Rita:

 

MADRE – O Convento nunca abriu suas portas para uma viúva. Infelizmente seu pedido não é possível. (fecha o portão e sai).

 

NARRADOR – Rita saiu dali chorando, se sentindo rejeitada.

 

(Rita sai chorando.)

 

NARRADOR – Rezou muito, se dedicou a ajudar os necessitados, e por mais 2 vezes bateu à porta do Convento – sendo rejeitada mais duas vezes.

Depois disso Rita se entregou totalmente à vontade de Deus, que teve compaixão dela.

 

(Entra Rita, ajoelha-se e reza.)

 

NARRADOR – Uma noite ela estava rezando quando de repente ouviu alguém chama-la:

 

VOZ – (em off) Rita! Rita!

 

NARRADOR – Rita olhou em volta e não viu ninguém. Achou que estava imaginando coisas, e assim voltou a rezar. De repente ela ouviu de novo a mesma voz chamar:

 

VOZ – Rita! Rita!

 

NARRADOR – Dessa vez ela não tinha dúvida: tinha mesmo ouvido uma voz. Levantou-se e foi ver quem era. À porta estavam 3 homens e Rita os reconheceu de imediato: eram São João Batista, Santo Agostinho e  São Nicolau de Tolentino, seus protetores.

Os santos a convidaram:

 

SANTOS – Siga-nos! (fazem gestos com as mãos)

 

NARRADOR – Os santos a levaram até o portão do Convento. De repente aquele mesmo portão, que por 3 vezes permaneceu trancado para ela, agora se abria e ela podia entrar.

 

(Os santos se aproximam do portão e ele se abre. Rita continua caminhando, atravessa o portão e entra no Convento. Música para essa cena.)

 

(Os santos saem. Rita sai. A música diminui.)

 

NARRADOR – No dia seguinte a madre ficou muito surpresa por ver Rita dentro do Convento, e mais surpresa ainda ao ouvir a história de como ela foi parar lá. E decidiu finalmente deixar Rita viver no mosteiro.

 

(fim da música)

 

NARRADOR – Rita distribuiu todos os bens que possuía na Terra entre os pobres. E passou a viver dentro do Convento, entre mortificações e penitencias.

 

(Rita freira entra, ajoelha-se e reza, já dentro do Convento)

NARRADOR - Um dia a madre superiora resolveu testar a obediência de Rita. E disse assim:

 

MADRE – Rita: você está vendo aquele galho seco?

 

RITA – Sim, madre.

 

MADRE – Pois eu quero que você o regue todos os dias pela manhã e á tarde.

 

RITA – Sim, madre.

 

NARRADOR – A obediência e humildade de Rita eram imensas.

 

(Rita pega uma vasilha e rega o galho seco, várias vezes)

 

NARRADOR – Todos os dias ela cumpria as ordens da madre, regando aquele galho seco, enquanto outras irmãs a olhavam com um sorriso irônico.

 

(Rita sai)

 

NARRADOR - Rita fez isso durante um ano. Um dia as irmãs ficaram espantadas. O galho antes seco agora retornava à vida. Surgiram folhas e ali cresceu uma bela videira que ainda hoje está no Convento dando deliciosas uvas.

 

(Entra Rita freira)

 

NARRADOR – Em 1443 Rita ouviu o sermão da Paixão de Nosso Senhor. Muito emocionada prostrou-se diante de um crucifixo e suplicou:

 

RITA – Senhor: conceda que eu participe de Suas dores.

 

NARRADOR – Um dos espinhos da coroa do crucifixo veio até ela e entrou profundamente em sua testa. Rita desmaiou e quando voltou a si estava com uma ferida na testa, marcando a experiência que tivera.

(Música. Rita recobra os sentidos e está com a marca de sangue na testa. Sai.)

 

NARRADOR – Durante 15 anos ela sofreu com a ferida na testa. Finalmente com 78 anos de idade, dos quais ela tinha passado 40 anos na vida religiosa, no dia 22 de maio de 1457 Santa Rita de Cássia faleceu.

Nessa mesma hora os sinos do Convento tocaram sozinhos, como que tocados por mãos invisíveis. Na cela onde ela faleceu apareceu uma luz de grande esplendor. Centenas de pessoas compareceram ao Convento para prestar homenagens à santa. Seu corpo inexplicavelmente permanece intacto até hoje.

Vários milagres foram e continuam a ser obtidos graças à intercessão de Santa Rita de Cássia, a Santa das causas impossíveis.

Vamos rezar juntos e pedir uma vez mais pela interseção de Santa Rita de Cássia.

 

(Oração de Santa Rita de Cássia)

 

 

 

PERSONAGENS

 

-        Rita de 8 anos

-        Rita de 38 anos

-        Madre superiora

-        São João Batista

-        Santo Agostinho

-        São Nicolau de Tolentino

-        Rita freira

-        3 irmãs do Convento (opcional)

 

(Observação: Voz em off = voz do ator que está fora de cena)

 


LEVE SEU MESSENGER PARA ONDE VOCÊ ESTIVER PELO SEU CELULAR. CLIQUE E VEJA COMO FAZER.

0 comentários:

Postar um comentário

 
MEU EMAIL | by TNB ©2010